"Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo.

As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante-Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:

- BEM VINDO À HOLANDA!

- Holanda!?! - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!

Mas houve uma mudança de plano vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar.A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente.Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: - Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!.

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. "

BEM VINDO À HOLANDA

por Emily Perl Knisley, 1987

domingo, 16 de maio de 2010

Obrigado . . .

A nossa vida deu uma volta muito grande de a um ano para cá. Primeiro a minha gravidez que foi cheia de complicações, depois o nascimento do João, e agora a atribulada adaptação a nova vida, não só por termos um novo membro pimpolhito ca em casa, mas tambem por toda a carga de ansiedade e rotinas que temos que enfrentar diariamente. A vida continua o seu caminho, e de dia para dia vemos coisas novas no João , que nos enchem de força para continuar, e acreditar que ele vai continuar a vencer grandes obstaculos . E temos o João aqui connosco hoje, graças a toda a dedicação, profissionalismo e apoio das instituições de Saude por onde ele passou. Então quero deixar aqui um OBRIGADO . . .

.... Ao Serviço de Obstetricia do Hospital Sousa Martins, ao meu obstetra que me acompanhou durante toda a gravidez, e no dia que o João nasceu este serviço de tudo fez para lhe salvar a vida. Tanto a equipa medica como de enfermagem foram fantásticos naquele dia. Agradeço de forma especial a equipa de enfermagem que me deu todo o apoio emocional que necessitei, nos dias em que estive internada e separada do João. Um obrigado muito especial para o pediatra que assistiu o João, que não desistiu dele, e de tudo fez para o manter dentro das melhores condições possiveis até o INEM/RN chegar. Apenas vi esse medico uma vez, quando me veio informar de como nasceu o João, e um coisa dele apenas sei , que por coincidência também se chama João.


... A equipa do INEM/ RN que fez o transporte do João, e antes de sairem com ele, chegaram com a incubadora de transporte ao junto da familia e deixaram no ver antes de ir , para HPC, e prometeram tudo fazer por ele.


... A Serviço de Cuidados Intensivos do Hospital Pediatrico de Coimbra, pelo seu profissionalismo e apoio que nos deram durante o internamento. Todas as duvidas que tinha mos eram sempre esclarecidas, e a noite quando deixava mos o hospital, iamos descansados, pois sabia mos que o João estava bem entregue.


... Ao Serviço de Neonatologia do CHCB, pela dedicação, e apoio que tanto deram ao João como a nós, os pais. Quando tinha mos situações de mais ansiedade, sempre nos tranquilizavam. Foi lá que o João deixou a sonda nasogástrica, e posso afirmar que foi graças ao empenho e dedicação da equipa de enfermagem.


. . . e um OBRIGADO muito ESPECIAL a S., A.S. e V. que desde o inicio sempre estiveram a meu lado e disponiveis, e me apoiaram em tudo o que necessitei. Elas são o exemplo de uma verdadeira amizade. Ficarei para sempre lhes agradecida.

5 comentários:

  1. Olá Vânia,
    Ainda bem que PROFISSIONAIS se atravessaram no vosso caminho!!
    Pena que não possa dizer o mesmo!!!
    Aliás, foram "profissionais" que traçaram esta minha "viagem para a Holanda".
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  2. Nós tivemos esta sorte, mas sei que muita gente não a teve, e muitos não a terão. Sou enfermeira e sei como correm as coisas nós dias de hoje. Sei que a situação do João não é mais grave graças a assistência que teve, nas primeiras horas de vida. Os profissionais de saúde fizeram o que lhes competia, e muito mais, o que nós dias de hoje já não se vê assim tanto. Dai eu querer deixar aqui o meu agradecimento, e que muitos mais bebes tenham a sorte que o meu João teve, em situações idênticas a dele. Mas quem sabe da nossa história, sabe que o João esteve noutro serviço ainda, e as condições em que esteve e como fomos la tratados, parece tirado de um filme de terror. Já sem falar da incompetência e irresponsabilidade da empresa que fez a transferência do João de Coimbra para a área de residência. O nascimento antecipado dele foi inesperado, devido as circulares. Só quem já teve um filho em isco de vida pode imaginar o sofrimento e tristeza por que se passa, e nesses momentos precisa mos de tudo, menos de um "profissional" de saúde que nós diga que a culpa de o nosso filho estar assim é nossa, por o termos tido no local X e não no Y. Se me dirigi ao local X é porque tinha confiança nele, e jamais alguma mãe tomaria uma decisão , se acha se que ia por a vida do filho em risco. As circulares já la estavam... não as coloquei la eu.
    Ana acredito que neste longo caminho que vamos ter, também iras encontrar bons profissionais. Pois ainda existem muitos :) ! ! !
    Muitos beijinhusssssss

    ResponderEliminar
  3. Felizmente o João foi e continua a ser muito bem acompanhado por profissionais de saude à altura, pena que também eu não possa dizer o mesmo e lembro-me tantas vezes que se não fossem esses mesmos profissionais hoje podia ter a minha Beatriz e a minha Leonor já com 3 aninhos aqui nos meus braços.

    Um bj muito grande ao pequeno João e outro à mamã

    susana

    ResponderEliminar
  4. Sou brasileira e encontrei este blog por acaso, pesquisando sobre PC. Minha história foi semelhante e me identifico demais com tudo que vc passa com o guerreiro João. Minha gravidez foi gemelar e no dia 18/02/10 com 28 semanas nasceram Camila com 900 gramas e Letícia com 1kg. A Camila não apresenta nenhuma dificuldade neurológica, já a Letícia foi diagnosticada com PC. Você não tem idéia de como me ajudou a passar pela fase do recebimento do diagnóstico que foi há uns 4 meses. Sempre leio e pego dicas aqui no seu blog. Agora uma dica para você... Encha uma calça de adulto com espuma e costure na perna, faça uma proteção no meio das perninhas do João como a dos carrinhos e o coloque sentadinho no meio dela, assim ele não cai para nenhum lado. Se você tiver e-mail, me passe que eu te envio uma foto. É muito prático para nossos guerreirinhos.
    Um grande abraço e parabéns pelo blog!

    ResponderEliminar
  5. Estou muito feliz com todo o progresso do João, parece que já o conheço! A Letícia também está progredindo, é um pouco mais complicado fazer toda a estimulação, pos tenho que dar atenção a Camila e também para meu filho Leonardo de quase 3 aninhos, mas logo logo voltam as sessões de fisioterapia, hidro, fono, T.O, etc. que pararam devido as férias de final de ano... Desejo um ano de 2011 cheio de superações e progressos! Abraços,
    Shirley

    ResponderEliminar