"Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo.

As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante-Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:

- BEM VINDO À HOLANDA!

- Holanda!?! - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!

Mas houve uma mudança de plano vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar.A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente.Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: - Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!.

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. "

BEM VINDO À HOLANDA

por Emily Perl Knisley, 1987

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Há males que vem por bem

É esta a frase que oiço ultimamente e o mesmo digo. O inicio do ano lectivo correu mal, mas agora digo... Ainda bem!!! Pois conheci um local simplesmente maravilhoso para o João estar. No dia que decidi tirar o João do Infantário uma pessoa lá disse me.
- Não meta o João nessa pré!! Não faça isso, olhe que lhe digo isto como pai/mãe.
Fiquei um pouco apreensiva e assustada, mas mesmo assim decidi avançar. É que este local que fui ver para o João tem uma conotação muito negativa na boca do povo, por estar inserido num Bairro Social, mas a verdade é que não conhecem o interior dele, as pessoas que lá trabalham diariamente e nem aquelas crianças, que por algumas serem de estrato social mais baixo e outras de etnia cigana, parece que não são crianças como as outras. E a verdade é que são todas crianças, como qualquer uma da sua idade que querem brincar, correr e saltar, que gostam de ouvir musica, que gostam de afecto, de ser compreendidas. Parece uma grande familia que se junta ali todos os dias. 
Para quem me disse mal daquele lugar, apenas aconselho a ir lá e a conhecer antes de voltar a dizer o que me disse. 
O João adora lá estar, não chora e fica lá já as manhãs. Quando se lembra de ligar a "trombeta" e chorar por algum motivo, não é retirado da sala como queria proceder a educadora no Infantário anterior, dizendo ser uma prática habitual e pedagógica para não incomodar as outras  crianças. Agora penso que talvez essa prática fosse para não incomodar a sr. educadora pois quem manifestou desconforto foi ela. 
Aqui neste local se o João chora são os próprios meninos a querer  anima-lo de todas as formas e a educadora E. e a auxiliar D. arranjam logo maneira de ajudar nesta animação, e a verdade é que resulta.Pode ser uma musica ou apenas andarem a vez a vez a passear o João na sua cadeira pela sala. A verdade é que já consigo sair e ficar descansada, pois sei que o João não poderia estar num local melhor. 

Afinal a minha decisão precipitada foi uma das  melhores que já tomei :)))  !!!


1 comentário:

  1. É assim que se cresce e vive no mundo ideal! Com muito amor e sobretudo com a espontaneidade tão própria das crianças habituadas à singularidade de cada um.
    Um forte abraço para esta criativa, fantástica, corajosa... grande referência Mãe Vânia!
    Abraço-vos aos três.
    E

    ResponderEliminar