"Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo.

As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante-Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:

- BEM VINDO À HOLANDA!

- Holanda!?! - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!

Mas houve uma mudança de plano vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar.A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente.Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: - Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!.

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. "

BEM VINDO À HOLANDA

por Emily Perl Knisley, 1987

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O meu sofá novo

Estamos a te problemas com a prescrição do material de apoio para o João, e como não sabemos quando a situação vai estar resolvida, vamos inventando coisas. Como ele já consegue brincar um bocadinho sozinho, gosta de estar sentado no chão, mas precisa de apoio, fizemos um sofá para ele.
Com um colchão de espuma de cama de bebe, eu e a Educadora G. do EE cortamos o colchão em varias partes e aqui está o resultado. Fica direitinho, sentado e não cai para os lados. Claro que temos que estar sempre de olho nele, pois quando se lembra de esticar, lá temos que ir po-lo no sitio outra vez.
A fisioterapia continua a correr muito bem. Não chora, faz todos os exercicios, mas nem um sorriso dá a terapeuta C.
A meio da tarde decidi experimentar em casa juntar água e farinha , e fazer massa para o João mexer. As coisas não correram muito bem, para já a " badalhoquise" em que ficou tudo a volta, a roupa dele, cara, cabelo, tudo... e para ajudar a festa quando decidiu levar as mãos a boca agoniou-se todo, e pumba!!! VOMITOU para cima da massa . Bem não vou contar aqui os pormenores, mas após vomitar fui a correr a cozinha a buscar uma pano, e quando cheguei ao pé dele, o vomitado também já estava a ser utilizado para esfregar a mesa, a cara, e ... só mesmo observando a cena. Foi pegar nele e ir po-lo na banheira, e dai nem fotos deu para tirar. Fica aqui uma do local do " crime" . A proxima vai ser com chantilly :D !!!

1 comentário:

  1. LOL...gostei da parte da massa e do que se passou a seguir. As primeiras vezes são sempre mais complicadas e nem sempre eles aceitam bem por causa das novas texturas. No entanto tens de ir experimentando e verás que um dia o Joãozinho estará um ás nas texturas.

    Beijnhos grandes

    ResponderEliminar