"Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo.

As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante-Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:

- BEM VINDO À HOLANDA!

- Holanda!?! - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!

Mas houve uma mudança de plano vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar.A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente.Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: - Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!.

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. "

BEM VINDO À HOLANDA

por Emily Perl Knisley, 1987

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Otite bilateral

Há duas semanas o João começou a dormir mal, e uma noite foi passada toda acordada com ele ao colo a chorar. Não tinha febre e estava apenas ranhozito aparentemente. O apetite também tinha desaparecido, e não conseguia entender o que tanto o incomodava. Só descobri quando um dos ouvidos começou a deitar fora um liquido com vestigios de sangue. Fomos então a medica de familia, onde foi preciso ser segurado por 3 pessoas para o poderem observar. Ele gritava tanto mas tanto, que vinham enfermeiras de outros modulos perguntar o que o menino tinha. Tive que dizer que era apenas uma otite e que ele estava a gritar tanto não era de dores, mas sim porque não queria estar ali. Depois de sairmos do Centro de Saude, acalmou logo. Fez então antibiotico 5 dias e anti inflamatório, mas o narizito ainda continua obstruido.
A unica coisa que o fez acalmar numa das noites de muito choro foi mesmo a Rute Marlene, que ele tanto gosta de ouvir cantar.

Sem comentários:

Enviar um comentário