"Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo.

As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante-Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:

- BEM VINDO À HOLANDA!

- Holanda!?! - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!

Mas houve uma mudança de plano vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar.A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente.Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: - Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!.

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. "

BEM VINDO À HOLANDA

por Emily Perl Knisley, 1987

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Birras e mais birras


Desde que tirou o gesso que o João anda muito alterado, pois fartou se de chorar e gritar com a maquina que serra o gesso. Qualquer barulho mais intenso ele desata a chorar, vou com ele a locais desconhecidos chora, alguém lhe fala mais alto chora, bem anda mesmo muito alterado. Agora até na piscina chora, pois na semana passada uma senhora ligou o secador do cabelo e pronto, foi a desgraça total. Esta semana voltamos a APPC e logo que chegamos a porta ele começou a resmungar, e o pior foi quando viu o terapeuta F. Ele não chorou mas sim... gritou descontrolado. Tivemos que leva lo para o carro a ver se se acalmava, e depois a terapeuta C. foi la ver como ele estava e quando a viu voltou ao mesmo. Ela esteve a conversar comigo e disse me que talvez o João nos esteja a dar um sinal para " deixem me um bocadinho descansar". E é isso que vamos fazer, vamos estar uns tempos sem ir a Coimbra e vamos deixar uma das terapias no hospital em que o João nunca gostou e foram poucas as vezes que aceitou fazer alguma coisa lá. A falta de recursos para as sessões de TO também contribuiram para que nunca tivesse havido uma melhor ligação do João com a terapeuta, e passar a maior parte das sessões a chorar e esperniar. Ficamos com TO em Coimbra e APPACDM CB, e neste momento em casa complementamos esta terapia.
Na terça fomos visitar os meninos ao infantario e pensei que ia ser mais uma manhã de choro, mas enganei me. Ele surpreendeu me com muito boa disposição, fez os jogos com a educadora do Ensino Especial e ainda esteve sentado com os meninos no tapete a ouvir uma historia. Como o apoio do ensino especial termina esta semana e só volta em Setembro, vou pedir no infantario se me deixam ir la as vezes com o João para ele não perder o contacto com os meninos.
Na quarta fomos a APPACDM e ai sim julguei que ele ia chorar mesmo , mas não... voltou a surpreender me e esteve 1 hora na fisioterapia e outra a TO muito mas muitooooo bem disposto e contente.
Vamos ver se é só uma fase e se as birras e choros acabam agora com umas mini férias de descanso em viagens.

Sem comentários:

Enviar um comentário