"Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo.

As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante-Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:

- BEM VINDO À HOLANDA!

- Holanda!?! - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!

Mas houve uma mudança de plano vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar.A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente.Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: - Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!.

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. "

BEM VINDO À HOLANDA

por Emily Perl Knisley, 1987

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

As manhãs...

... começam sempre da mesma forma ( excepto Sabado e Domingo). O João chora, chora e chora desde que acorda pois não quer ir para o Jardim de Infância. Estica-se todo, grita e nem o pequeno almoço lhe consigo dar, e a parte mais complicada é coloca lo na cadeira do carro, pois ele faz imensa força para não o sentar lá. A viagem e feita com ele lavado em lagrimas e ranho, mas depois de o deixar  a Educadora E. diz que ele se cala,  da lhe um iogurte e passa lá bem a manhã. Ele agora está a ir das 9,30 até ao meio dia e talvez para a semana já comece a almoçar lá. Por volta das 13h deito o sempre um bocadinho pois ele vem sempre muito molito do Jardim de Infância e por volta das 14h  vou acorda lo  e vamos para as terapias, fazendo esta rotina todos os dias de segunda a sexta.




Sem comentários:

Enviar um comentário